quarta-feira, 25 de julho de 2018

Resenha: Hatefulmurder – Red Eyes (2017)



O Hatefulmurder foi criado em 2008, na cidade do Rio de Janeiro. De lá pra cá, entre alguns EPs e singles, foi lançado em 2014 o debute ‘No Peace’ – pela Cogumelo Records – e com os vocais de Felipe Lameira. Consolidando a entrada da vocalista Angélica Burns (ex-Scatha e Diva) e do baixista Felipe Modesto, o segundo full length ‘Red Eyes’ saiu em março do ano passado, em parceria com a gravadora inglesa Secret Service Records.

Para aqueles que ainda não tiveram contato com a sonoridade do Hatefulmuder, a mesma não se prende em algum rótulo específico, mas é notória a evidência de elementos do Thrash e do Death Metal,  com uma roupagem bastante atual. Some também na conta: passagens com melodias bem encaixadas e pequenas doses de groove, além de (obviamente) peso, velocidade, agressividade e uma qualidade de áudio bem atraente – obtida nos estúdios Casa da Mata e Kolera Studio.

Começando pela arte de capa e gráfica em geral, tudo ficou bem interessante, optando pela simplicidade e pela cor branca, mas que fornece um pano de fundo caprichado às composições. Alguns
símbolos estão presentes, como o ouroboros, um crânio, o “olho que tudo vê” e uma representação de ‘O Homem Vitruviano’ de Leonardo DaVinci…
O álbum começa bem direto e sem introdução, com a curta “Silence Will Fall” – aliás, em 09 composições, o tempo não ultrapassa muito os 32 minutos de duração. Vale salientar, que vocais limpos começam a ser explorados a partir da título “Red Eyes”, exibindo ainda mais os laços atuais da banda, mas utilizados na medida certa (caso isso seja um problema para você que está lendo).
O que falar do desempenho pessoal de cada integrante? Basta uma simples audição em qualquer faixa deste ‘Red Eyes’, e comprove a capacidade técnica de criativa deles em diferentes pontos, como arranjos, melodias, sessões rítmicas e vocalizações.
Além das duas músicas que citei acima, “Riot”, “My Battle” e o encerramento “Creature of Sorrow” foram gratas surpresas para este que vos escreve. E as suas, quais serão?


Formação:
Angélica Burns (vocal);
Renan Campos (guitarra e vocal);
Felipe Modesto (baixo e vocal);
Thomás Martin (bateria)

Faixas:
01. Silence Will Fall
02. Red Eyes
03. Tear Down
04. Riot
05. The Meaning of Evil
06. Time Enough at Last
07. My Battle
08. You’re Being Watched
09. Creature of Sorrow.

Por: Vitor Sobreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...