terça-feira, 30 de maio de 2017

Resenha: Altered Shade – The Path of Souls (2016)

 
A banda Altered Shade, foi formada em 2012, na França, e nos apresenta em seu álbum de estreia, ‘The Path of Souls’, uma musicalidade inspirada e dinâmica. Se a fórmula não é inédita, as suas características propriamente inseridas dão um brilho maior ao Death Metal praticado, com doses de Thrash, Melodic e algo de Black.
Velocidade, climas sombrios e passagens detalhadas, podem ser facilmente percebidos ao longo de quase 50 minutos de duração, em 10 faixas. O lançamento foi feito em 25 de novembro de 2016, pelo selo WormHoleDeath, em formato digital, e mais recentemente, foi disponibilizado também fisicamente. Atualmente, a banda é integrada pelos músicos Edwin (vocal), Rudy e Romain (guitarras), Fabien (baixo) e Hed (bateria).
Logo de cara, percebemos que a qualidade sonora valorizou o material em si, pois é muito importante essa sincronia – entre bons músicos, composições fortes e produção honesta - para que tudo soe muito bem. Com a abertura “The Dark Gift of Life”, tive uma breve lembrança da banda sueca Naglfar – que pode ter servido de influencia para o Altered Shade, já que estão no cenário desde meados dos anos 90 – mas é claro, que foi apenas um agradável “flash”, já, que “Frozen Griefs” já vem n’uma linha mais Death Metal.

 

“The Last Door” apresenta uma levada mais direta, com um solo bem Heavy Metal, e riifs constantes, que conferem um ar de atualidade. Dando provas de louvável diversidade, “The Engraved Path” surge mais melodiosa e com algumas pitadas de Black Metal, enquanto que “The Revenge of Venus”, mescla passagens rápidas com outras mais cadenciadas, e ainda conta com um climático dobrar de sinos, como encerramento. Por falar em climático, “Meanders” se valeu desse recurso, com um “Q” de passagens mais
viajantes, mas sem por isso, abrir mão do peso e da rispidez.
Retornando com exclusividade ao Death Metal, soturno, “Voodoo Philther” faz companhia a “Lord Vlad”, para juntas, nos levar aos momentos finais com a longa “Until the Last Rites” e a instrumental mística “The Shadows of Forgotten”, que encerra este interessante ‘play’.
Uma ótima estréia, de mais um grupo que promete grandes conquistas em um futuro próximo. Confiram!

Faixas:
01. The Dark Gift of Life
02. Frozen Griefs
03. The Last Door
04. The Engraved Path
05. The Revenge of Venus
06. Meanders           
07. Voodoo Philter
08. Lord Vlad           
09. Until the Last Rites
10. The Shadows of Forgotten.

Por Vitor Sobreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...