sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Resenha: O Último Expresso - Basttardos



Resenha: O Último Expresso - Basttardos

Importante: Essa resenha trata-se de um parecer pessoal, de nenhuma forma busca rotular o trabalho em questão, sendo aqui exposto apenas um ponto de vista, assim sendo, ele pode mudar de pessoa para pessoa afinal cada um tem sua bagagem, suas influencias e referências assim como seus estilos preferidos.



Banda:Basttardos

CD: O Último Expresso

Gêneros: Metal, Rock Clássico.
Integrantes: Bernardo Martins, Alex Campos & Terceiro Elemento.

Origem: Rio de Janeiro

Faixa por faixa:

01-Basttardos:

Faixa que abre o CD, trás características do puro rock n’ roll, ideal pra quem gosta de rock tradicional, com letras que remetem ao ambiente de bang bang(bang bang, velho oeste, veja bem rsrs).É fácil imaginar toda a atmosfera, eu particularmente adoro músicas que lembrem esse tipo de cena, a letra de fácil assimilação conta a historia claramente e mostra a identidade da banda.

02- Licor de Cereja:

Uma música que vem com o tradicional do rock: bebida, rock n’ roll e mulher.
Descreve uma mulher da época dos saloons, uma cowgirl fora da lei que não abre mão da sedução, mas que é bem resolvida e não leva desaforo.
Destaque para os vocais. A faixa em si não tem grandes surpresas e grandes variações no que diz respeito as demais faixas, porém, é uma ótima pedida pra quem mais uma vez curte essa atmosfera faroeste.

03- Despertar do Parto:



Todo álbum tem “a baladinha”, ”Despertar do Parto” que foi a primeira música a ganhar um clipe e ser lançada como single, trás uma mensagem profunda: como um filho, uma nova vida pode mudar a vida de uma pessoa.
O som é pesado, melancólico, tocante, mas não deixa de ser de altíssima qualidade, é do tipo de música que dá vontade de escutar e gravar a letra pra sair cantando.

04- Exilados:

Exilados trás uma mensagem curta e grossa.
Um som que lembra a atitude e agressividade do hardcore/punk rock, também lembra na letra, por escancarar sem papas na língua, numa mensagem mais que clara, a podridão da sociedade e da política.
Mesmo a música lembrando a “agressividade” do hardcore/punk rock, não se trata de uma musica de três
acordes, muito pelo contrário, com uma bateria acelerada que permeia por viradas de muito peso, assim como a guitarra que tem distorções e feelings.  

05 - Terceiro Elemento:

Uma faixa que com certeza agradará quem gosta do universo de horror, poderia muito bem ser a trilha sonora de um filme de suspense/terror, tanto por sua letra quanto por sua atmosfera.
Escutando-a é fácil imaginar cenas de um thriller de horror.
O trabalho que explica o grande enigma do bando, o personagem misterioso que compõe o lineup do Basttardos é finalmente explicado “O mal que há em nós” como a letra o descreve.
Se não bastasse o som pesado, distorções, a letra expressivo-reflexiva, a maestria em que se resulta a canção ainda há uma surpresa, uma participação mais que especial de Breno Campos, filho de Alex Campos, definitivamente a cereja do bolo.

 

Feedback:

O trabalho é excelente, se tivesse uma escala de 0 a 5 para pontuar eu daria 4,9 (porque  sempre podemos melhorar, nunca se acomodar  ;) )
Um tapa na cara de quem acha que rock/metal não funciona em português(isso serve pra mim).
Um grande exemplo que o que faz uma boa banda não é apenas uma grande gravadora e inúmeros músicos, mas sim a paixão, determinação e talento.
O Ultimo Expresso não só cumpriu seu objetivo como foi além, superou a expectativa, um trabalho que me surpreendeu muito pela qualidade, execução, produção, desde as letras, as melodias, e um grande destaque para os vocais (que foram explorados criativamente em cada faixa, não deixando aquela impressão de que todas as músicas são cantadas do mesmo jeito,) até a arte do disco. Não perde em nada para álbuns produzidos pelas grandes gravadoras.
Deixo aqui meus parabéns para a banda, ou melhor, para o bando.

Por Laíse Moreira S.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...